Materiais gratuitos
Início » Blog » Nota Fiscal » Cálculo do ICMS: como fazer?

Cálculo do ICMS: como fazer?

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, conhecido por ICMS, é um dos tributos mais importantes para o país. Entenda mais sobre essa obrigação fiscal!

Por GestãoClick
Atualizado em
Cálculo do ICMS: como fazer?

O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, conhecido por ICMS, é um dos tributos mais importantes para o país, já que se configura como a fonte de receita tributária mais expressiva quando se trata de arrecadação.

Sabemos que cumprir as obrigações fiscais é fundamental para que o negócio se mantenha em conformidade com a legislação e em situação de regularidade, não é?

Mas, afinal, como será que é feito o cálculo do ICMS? Vamos explicar sobre isso neste artigo, então continue acompanhando!

 

Vamos entender um pouco mais sobre ICMS?
 

Como o próprio nome já diz, esse imposto incide sobre a circulação de produtos (como eletrodomésticos) e de serviços (como de comunicação).

Ele é de competência dos Estados e do Distrito Federal — os quais devem respeitar o que está estipulado tanto na Constituição Federal quanto no Código Tributário —, sendo que cada um estabelece as regras que julgarem adequadas e o valor da alíquota que será utilizada no cálculo.
 

E quem deve recolher esse imposto?

Geralmente, toda pessoa física ou jurídica que realizar:
 
  • #ações comerciais frequentemente;
  • #vendas, transportes, transferências ou qualquer tipo de circulação de mercadorias;
  • #serviços de comunicação;
  • #serviços de transporte (interestadual ou intermunicipal);

Além disso, pessoas não cadastradas, mas que importam mercadorias de outros países, também devem contribuir.
É importante lembrar que algumas atividades, operações, ativos etc. estão isentos da cobrança do ICMS, como:
 
  • #comercialização e circulação de livros, jornais e periódicos;
  • #fatores específicos da legislação estadual;
  • #exportação de produtos;
  • #transferência de propriedades ou bens móveis;
  • #ouro (quando se tratar de ativo financeiro ou instrumento cambial);
  • #energia elétrica;
  • #petróleo e combustíveis.

Lembrando também que as empresas devem se cadastrar na SEFAZ (Secretaria de Estado da Fazenda) e realizar a Inscrição Estadual antes do início das atividades comerciais a fim de serem confirmadas como contribuintes.

Fique atento! O não recolhimento de impostos, seja o ICMS ou outros, acarreta uma situação de inadimplência com o Fisco/Receita Federal, ocasionando irregularidades no âmbito fiscal e juros. Esses juros e pagamentos atrasados, por sua vez, podem comprometer o fluxo de caixa do negócio e prejudicar investimentos.

 

E então, como fazer o cálculo do ICMS?


 Antes de explicar como fazer o cálculo do ICMS, é importante ressaltar que o valor desse tributo é acrescentado ao preço da mercadoria ou do serviço, ou seja, ele é cobrado de maneira indireta.

Como já mencionado, cada Estado e o Distrito Federal estipulam as alíquotas utilizadas no cálculo. Então, a princípio, é necessário saber qual é a porcentagem estabelecida em seu estado. Além disso, o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) poderá ser usado na base de cálculo do ICMS em algumas condições.

Então, tendo por base uma alíquota aplicável de 18% e a integração do IPI, veja um exemplo de como fazer o cálculo “por dentro”:
 
  • Valor da mercadoria: R$ 1000,00 + margem de lucro: R$ 300,00 + valor do IPI: R$ 150,00 = R$ 1450,00. Agora, aplica-se a seguinte regra:
 
  • 100% – 18% (alíquota) = 82%;
  • 82% / 100 = 0,82;
  • R$ 1450,00 (base de cálculo vista acima) / 0,82 = R$ 1768,29;
  • R$ 1768,29 x 18% (alíquota) = R$ 31829;
  • R$ 31829 / 100 = R$ 318,29.

Sendo R$ 1768,29 o valor da Nota Fiscal e R$ 318,29 o valor do ICMS.

Deve-se sempre levar em conta, no entanto, as condições de integração do IPI. Além disso, é preciso considerar que quando a pessoa jurídica opera em diferentes estados é necessário aplicar o Diferencial de Alíquota (DIFAL).

Como você pôde perceber, o cálculo do ICMS pode ser feito de maneira rápida e simples, só não se esqueça de consultar a alíquota do estado para fazer o cálculo correto. Ademais, conte com a ajuda de um profissional de contabilidade, que é especializado nesse tipo de assunto e pode ajudá-lo a calcular e pagar tributos corretamente.

E então, nosso post esclareceu o que você buscava sobre o assunto? Não se esqueça de ficar por dentro dos artigos do nosso blog! E, se preferir, teste grátis nosso emissor de nota fiscal e emita as notas da sua empresa dentro das conformidades.

 
Sistema ERP Online
Avatar

gestao.click

Deixe seu comentário
Deixe uma Comentário

Fique por dentro também

Confira outros conteúdos que podem te ajudar a alcançar uma gestão eficiente, otimizar o seu tempo.

cupom gestaoclick - 9 anos
50% de desconto no plano anual,
+ adesão gratuita de várias integrações!
Garanta aqui

Venda mais com o GestãoClick

Explore todas as vantagens por 10 dias sem compromisso – Experimente agora!

GestãoClick
Logo