Como alavancar a inovação na sua empresa mitigando riscos

A inovação nasceu muito mais relacionada à criatividade e ao design do que à invenção, como muitos pensam hoje. Inovar não é nada mais do que tornar algo novo. E, claro, normalmente quando tornamos algo novo, é para melhor. 

Atualmente, a inovação é muito relacionada à transformação digital. Por isso, quando o assunto aparece, as pessoas tendem a pensar que exigirá a contratação de softwares caros e muito avançados que irão revolucionar processos internos. Essa é de fato uma parte da inovação. No entanto, ela não se resume a isso. 

Podemos também pensar em inovação em coisas simples do dia-a-dia. Passar sua lista de tarefas para um ambiente compartilhado onde os outros membros da equipe possam ver e te ajudar com elas, já é um tipo de inovação. 

A inovação nas empresas é um fator que tem ganhado muita relevância atualmente e, hoje, vamos focar nela. Então, vamos falar mais sobre o processo e os tipos de inovação empresarial? 

O processo de inovação 

O processo de inovação nas empresas atualmente ocorre com um objetivo principal: ganhar competitividade no mercado. Estar sempre um passo a frente da concorrência é essencial atualmente. Isso porque seu concorrente pode até ter os melhores preços, mas se você oferecer uma experiência melhor, seu cliente vai pagar a mais por isso. 

Não está convencido? Por exemplo; imagine-se fazendo uma compra na internet, você encontra o produto por um preço menor, que vai demorar 30 dias para chegar. Em outro local, você encontra o mesmo produto, com uma interface de compra mais amigável e que vai chegar em 5 dias. É provável que a maioria dos usuários opte por comprar da segunda opção. O Just in time é real e se torna cada vez mais valorizado. 

Principais formas de inovação 

Para começar a aplicar um processo de inovação dentro da sua empresa, você primeiro precisar conhecer os tipos de inovação e depois escolher qual mais faz sentido e melhor se adapta à realidade da sua empresa. Então, vamos conhecer os principais tipos de inovar?

Inovação aberta 

De modo geral, a inovação aberta é quando a empresa utiliza de ideias internas e externas para otimizar e entregar uma experiência melhor de seus produtos e serviços. Esse conceito foi criado e desenvolvido por Henry Chesbrough, economista e professor universitário. 

Ao criar esse conceito, Henry afirmou que essa seria o melhor caminho para atingir o sucesso com a inovação. Isso porque tem o propósito de aproveitar todos os recursos disponíveis. 

A inovação aberta normalmente conta a ajuda de parceiros e fornecedores de tecnologia. Inclusive, foi um marco no mercado que representou a aproximação entre grandes e pequenas empresas/startups. 

Inovação disruptiva 

Este conceito foi criado pelo empresário Clayton M. Christensen, que também foi um grande professor na Harvard Business School. Como você pode imaginar, a inovação disruptiva carrega consigo grandes mudanças no produto, na prestação de serviços ou até mesmo no modelo de negócios da empresa. 

Normalmente, ela é mais comum em setores nos quais a burocracia e altos custos prevalecem. No Brasil, temos um excelente exemplo de inovação disruptiva; o Nubank. Ele rompeu com a grande burocracias dos bancos tradicionais, aplicando baixas ou nenhuma tarifa. Hoje, já um unicórnio brasileiro (startup avaliada em mais de 1 bilhão).

Inovação reversa 

O criador deste conceito se chama Vijay Govindarajan e também é professor na Harvard Business School. A inovação reversa tem esse nome pois quebra o paradigma de que as tendências de inovação são ditadas pelas grandes potências mundiais. 

Ou seja, a inovação reversa acontece quando uma ideia que nasceu e foi primeiro aplicada em países emergentes ou subdesenvolvidos cresce a ponto de virar uma grande tendência dos países desenvolvidos. Um ótimo exemplo é a Nestlé e a criação das cápsulas criadas para serem comercializadas na Índia, e rapidamente virou uma tendência no Reino Unido e na Austrália. 

Inovação incremental 

A inovação incremental faz jus ao seu nome, ou seja, é uma inovação é incrementada ao produto ou serviço em questão. Como você já pode imaginar, ela muito se difere da disruptiva e da radical, uma vez que vai fazendo mudanças pequenas ao passar do tempo. 

Normalmente, a mudança incremental está mais relacionada a estar sempre à frente ou, pelo menos, no mesmo patamar que a concorrência. Assim, um ótimo exemplo é a indústria automobilística, que está sempre fazendo pequenas mudanças em seus produtos. No entanto, em longo espaço de tempo, representam uma diferença muito grande. 

Inovação radical 

A inovação é provavelmente aquela que primeiro vem à mente quando se toca no assunto da inovação. Ela representa uma mudança radical em como se consome algo, produz, ou realiza alguma ação. 

Normalmente, ela é ligada a uma série de incertezas, uma vez que seu lançamento no mercado representará um grande sucesso ou um completo desastre. Um ótimo exemplo de inovação radical é a internet, que mudou para sempre a forma como nos relacionamos, buscamos conhecimento, trabalhamos, etc. 

O design thinking na inovação 

Ter ferramentas de inovação que te ajudam a tornar esse processo uma estratégia de sucesso, é essencial. Isso porque você pode ter grandes softwares e até estruturar um programa de inovação excelente, mas se os seus colaboradores não estiverem enxergando os mesmos objetivos que você, sua estratégia está fadada ao fracasso. 

Nesse sentido, uma importante metodologia que você pode ter como aliada nesse processo é o Design Thinking. Ela vai te ajudar a criar soluções inovadoras, utilizando a ótica do consumidor, que seja capaz te atender as necessidades do cliente e superar as expectativas. 

Por fim, não se esqueça de que toda estratégia para realmente atingir todo seu potencial, deve contar com um acompanhamento próximo. Por isso, não deixe de definir os indicadores de inovação que você vai utilizar para potencializar esse processo na sua empresa. 

Esperamos que este conteúdo tenha te ajudada a ter um visão mais clara de como tocar a inovação na sua empresa, mitigando os riscos desse processo. Se você gostou desse conteúdo, compartilhe. Se tem alguma dúvida, deixe nos comentários. Será um prazer te responder! 

Esse post foi escrito pela Siteware, uma empresa que tem o propósito de fazer pessoas e negócios chegarem mais longe, em ciclos contínuos de aprendizado. 

Deixe seu comentário
      Deixe uma Comentário

      GestãoClick
      Logo