Como precificar serviços

Preços baixos costumam ser um diferencial de muitas empresas, no entanto, não adianta nada para o seu negócio ter o menor preço do mercado se ele não paga os custos existentes na prestação do serviço. Se isso acontecer, o prejuízo e eminente para sua empresa . Além disso, existe o gasto com mão de obra, que pode parecer mais difícil de calcular.

Mas então, como precificar serviços? Para saber tudo sobre o assunto, confira neste artigo os seguintes tópicos: 

O que considerar na precificação dos serviços
Custo com os materiais
Custo com mão de obra
Como oferecer o melhor preço
Dicas para gerenciar a sua empresa

O que considerar na precificação dos serviços

Já que a oferta de serviços não implica apenas no uso de produtos, pode parecer muito mais difícil saber como precificá-los. No entanto, existem sim bases sólidas para apoiar a definição do preço, mesmo se deparando com os conceitos de intangível, imperecível, variável e simultâneo.

Ou seja, os serviços não podem ser tocados, nem estocados, mas são variáveis, por mais padronizados que sejam, além de serem entregues ao mesmo tempo em que são realizados. Portanto, para determinar o preço de um serviço é preciso levar em conta os custos que envolvem a prestação do mesmo, o valor agregado e a concorrência.

O custo é formado tanto pelos materiais usados quanto pela mão de obra de quem executa o serviço. Já o valor está relacionado com o preço final do serviço realizado, quanto ele custaria se já estivesse pronto e os seus benefícios. Essa sim é a parte mais abstrata da precificação, mas é possível ter como base alguns aspectos, como experiência e habilidades do profissional.

Já a concorrência serve para encaixar o preço do seu serviço no mercado. Para tanto, é preciso saber o preço que outras empresas e profissionais praticam e ter uma média. Por mais que considere justo o valor X, se a concorrência praticar o preço Y, que é bem menor que o seu, pode não ter o mesmo sucesso nas vendas, a não ser que proporcione um diferencial para compensar os clientes pela diferença de preço.

Custo com os materiais

Para aprender a como precificar serviços, o primeiro passo é considerar os gastos que se tem com os materiais envolvidos na prestação do serviço. Quem trabalha na construção civil, por exemplo, deve levar em contato o valor do cimento, do cascalho, do rejunte, etc, que são os gastos variáveis que mudam de acordo com o serviço prestado.

Também é preciso somar os gastos fixos, como o aluguel, luz, água e demais custos que se tem para manter a estrutura da empresa. Dessa forma, a qualidade dos materiais interfere diretamente no preço final do serviço, sendo que se forem melhores resultam em um serviço com preço mais alto para o consumidor.

Esse também pode ser um diferencial da sua empresa, contar com materiais de qualidade superior, para oferecer um melhor resultado final. De qualquer forma, é preciso focar as suas ações de marketing para o público alvo que procura por esse tipo de diferencial. Afinal, quem não quer ou não pode pagar mais prefere a qualidade padrão pelo menor preço.

Fique por dentro de tudo que voce precisa saber sobre  custos fixos e variavéis para seu negócio!

Custo com mão de obra

Já para incluir o valor da mão de obra de quem presta um serviço no preço final do mesmo é preciso analisar o tempo médio que é necessário para realizar o serviço e multiplicar esse número pelo valor da hora trabalhada. Para tanto, é preciso identificar a profissão para exercer a função do prestador de serviço e a sua média salmaven pro.

Da mesma forma, quando é o sócio quem presta o serviço, é necessário basear-se no salário referente à profissão de quem realiza o serviço e não considerar o seu salário como sócio, o pró-labore, que costuma ser bem maior. E além dos custos com materiais e mão de obra, existe o valor do serviço, ou seja, os seus benefícios.

A manicure, por exemplo, além de pintar as unhas da cliente oferece um serviço que tem como valor a beleza, o cuidado e mesmo a economia de tempo da cliente. Esse valor é subjetivo, mas deve estar no preço final do serviço executado. Pode-se dizer que quanto mais benefícios o serviço oferece, mais alto é o seu valor e, por consequência, o seu preço.

Neste artigo te explicamos direitinho a diferença entre pró-labore e salário !

Como oferecer o melhor preço 

O melhor preço é relativo, afinal, para quem busca um serviço padrão, básico, o melhor preço pode ser o mais baixo. No entanto, para quem deseja um serviço de alto padrão o melhor preço é aquele que garante a sua qualidade. Essa é a importância de definir o público alvo do seu negócio e conhecer o seu perfil para que possa dispor do melhor preço a ele.

Nesse sentido, é preciso levar em conta a concorrência, ainda mais se o seu serviço é padrão. Aqui, de forma geral, são escolhidos os serviços mais baratos, sendo que o consumidor pode escolher pagar mais se tiver um benefício extra, que pode ser rapidez na realização do trabalho e melhor atendimento.

Qualidade dos materiais e a experiência do prestador do serviço são outros fatos que interferem no preço, aumentando-o. Ao mesmo tempo, é preciso saber o máximo que o seu consumidor em potencial só está disposto a pagar como também o quanto ele pode pagar. Isto é, ele até pode preferir algo melhor, mas não ter condições financeiras de arcar coma despesa.

Dicas para gerenciar a sua empresa

Para garantir a competente administração da sua empresa prestadora de serviços, ter todas as informações registradas e armazenadas necessárias para fazer levantamentos, prospecções e precificar o preço dos serviços é importante contar com um software ERP. Esse programa é um sistema de gestão empresarial que conecta os setores, informatiza os dados e automatiza os procedimentos.

Além dessas funções contamos com a vantagem de sermos totalmente online, oferecendo acesso remoto com a mais alta segurança, e funções adequadas para empresas prestadoras de serviços. 


Sistema ERP Online

Deixe seu comentário
      Deixe uma Comentário

      GestãoClick
      Logo