A importância do empreendedorismo feminino para o mercado

empreendedorismo feminino vem crescendo cada vez mais no Brasil e no mundo. Contudo, os desafios da mulher empreendedora ainda são muito diferentes daqueles enfrentados pelos homens, muito embora a sua importância para o mercado seja indiscutível como você poderá ver neste artigo. Vamos, nessa?
 

O Empreendedorismo Feminino em Números

O consórcio internacional GEM (Global Entrepreneurship Monitor) revelou o cenário do empreendedorismo no Brasil em 2016, de e acordo com a pesquisa, as mulheres são responsáveis por 51,5% dos novos negócios criados no Brasil em 2016. Já nos percentuais de empresas estabelecidas, ou seja, com mais de 42 meses de existência, os homens têm um histórico de supremacia, representando 57,3% do total. Essa supremacia é explicada no estudo por dificuldades enfrentadas pelas mulheres para conseguirem financiamentos, pelo preconceito no ambiente de negócios e pelas dificuldades em conciliar as demandas organizacionais e familiares.
 

Principais atividades das empreendedoras no Brasil

O estudo também revelou que a principal atividade empreendida pelas mulheres está ligada aos serviços domésticos (17% do total de mulheres empreendedoras) — setor que sequer figura entre os 10 mais empreendidos pelos homens. Em segundo lugar está o ramo de beleza e estética com 14,3%. Apenas 3,3% dos homens empreendem nessa área. Já no setor varejista de vestuário, o terceiro lugar da lista, os números são de 12% das mulheres contra 3,1% dos homens. Isso demonstra uma grande importância do empreendedorismo feminino nesses setores e na economia do país.

Os setores preferidos pelas mulheres para empreender representam uma fatia relevante da economia do país. Por isso, é tão importante que o empreendedorismo feminino seja encorajado e amparado, tanto pela sociedade quanto pelos órgãos financeiros e governamentais.
 

O Impacto na Economia

Estimativas recentes sugerem que elevar a paridade econômica de gênero poderia acrescentar cerca de 2,8 trilhões de dólares ao PIB mundial (considerando estudos realizados em países como EUA, Inglaterra e Japão), mas no Brasil não há sequer essa estimativa. A participação feminina precisa ser urgentemente incentivada, pois, independentemente de qualquer outra abordagem que se possa dar à questão da igualdade de gênero, não há argumento mais contundente do que o potencial econômico que desperdiçamos ao deixar de valorizar a participação da mulher na economia e em todas as outras esferas de poder
 
Uma pesquisa realizada em março de 2017 pela Fundação Getúlio Vargas, a partir de dados divulgados pelo IBGE, nos mostra que a participação da mulher no mercado neste período de crise obteve resultados melhores que o dos homens. Apesar dos homens manterem uma renda média mais alta que a das mulheres, a trajetória de trabalho deles foi pior que a delas nos dois últimos anos. 
 
Embora a inflação apertasse em 2015, a participação das mulheres ainda conseguiu crescer significativamente, em média 0,7%, em comparação à dos homens, que caiu 1,9%. Em 2016, os dois grupos apresentaram perdas, mas no caso deles a queda foi de 5,1%, enquanto a delas foi de 2,8%.

 

Limitações de crédito

Essa limitação é enfrentada pela maioria dos empreendedores, principalmente os principiantes. Mas, para as mulheres, a limitação de crédito é ainda maior. As linhas de crédito financeiro para elas são menores e mais caras do que para eles.Se as linhas de crédito fossem mais justas, as mulheres empreendedoras poderiam investir mais no crescimento de seus negócios e na manutenção da empresa nos períodos de baixa.

Contudo, apesar de todos os desafios listados, as mulheres são corajosas e inteligentes. Elas têm a total capacidade de superar todos os entraves e obter muito sucesso em seus empreendimentos.
 

O empreendedorismo feminino é diferente do masculino?

Muito mais do que o ato de empreender, é importante compreender que o empreendedorismo feminino como um importante instrumento de transformação social. Muitas pessoas tendem a achar que ele é apenas uma variação do empreendedorismo geral, e que insistir em colocar o “feminino” junto ao termo é algo desnecessário. Mas, definitivamente não! Ele é necessário na medida em que vai além do tradicional e se traduz como um movimento importante para dar força e visibilidade a outras questões relacionadas ao universo feminino.
 

Barreiras sociais

Além das questões inerentes a qualquer empreendimento, enfrentamos barreiras sociais e de preconceito que agravam a situação.  Ainda existem algumas pessoas que não confiam na capacidade de gestão da mulher, por causa da forte influência social, instituída por séculos de história em que os homens eram os únicos responsáveis por garantir o sustento das famílias. O número de lares brasileiros chefiados por mulheres saltou de 23% para 40% entre 1995 e 2015, porém, se em casa elas estão assumindo o comando publicamente, no mercado de trabalho ainda há diferenças.

Mesmo se ambos estiverem em cargos de chefia, o homem vai ganhar mais, em média. Segundo o IBGE, eles têm rendimento médio mensal de R$ 5.222 e elas, R$ 3.575, uma diferença de 31,5%. Em 2015, entre todas as mulheres ocupadas, 4,7% estavam em cargos. Isso significa que elas administram suas empresas, realizam tarefas domésticas, cuidam da família e ainda estudam (mais do que os homens). São muitas as tarefas, e as cargas física e psicológica são bastante altas. Conciliar tudo isso não é mole, mas as mulheres têm a capacidade de executar cada uma delas sem deixar a qualidade (e nem a peteca) cair.

 

Conclusão

 
O caminho que nós mulheres precisamos percorrer em busca de igualdade ainda é longo, conforme citamos acima e você pode conferir em números. Mas muito já foi conquistado e iniciativas como a nossa ajudam a mostrar o poder feminino nos negócios e sua capacidade de inovar, criar, transformar e crescer.
 
Conhecidos os obstáculos e os benefícios econômicos do fomento ao empreendedorismo feminino fica muito mais fácil traçar um plano. O ambiente já conspira a favor do empreendedorismo feminino, já é possível encontrar grandes empresas de tecnologia criando programas específicos para mulheres, o que há pouquíssimo tempo era algo inimaginável.
 

Gostou deste artigo? Desejamos que ele seja um ponto de partida para que possa entender mais e melhor sobre a importância do empreendedorismo feminino, e você? Conhece mulheres incríveis que estão empreendendo? Conte para nós nos comentários!

Ah! E se tiver alguma dúvida pode contar com a gente! O GestãoClick é um sistema ERP online que apoia todas as causas em prol do empoderamento feminino.

Deixe seu comentário

Comentário

Clientes satisfeitos

GestãoClick
Logo