Abri meu negócio próprio, e agora?


negócio próprio
Abriu seu negócio próprio? Parabéns! Mas… E agora?

De acordo com um levantamento feito pela Boa Vista segundo os registros da Receita Federal, apenas em 2018 foram abertas 2.6 milhões de empresas no Brasil, sendo que a maioria (77,3%) se trata de Microempreendedores Individuais (MEIs).

É um número alto, não é? Principalmente se considerarmos que é uma quantidade 14% maior do que a registrada em 2017.
Então, agora você precisa seguir algumas dicas e entender alguns princípios para poder competir com esses novos empresários, se destacar no mercado e alcançar o sucesso!
 

Elabore um Plano de Negócios

 
Todo tipo de empresa precisa de um Plano de Negócios bem feito para guiar as principais decisões do gestor.
O ideal é que esse documento seja elaborado antes mesmo de abrir o seu negócio próprio, mas, caso você ainda não o tenha estruturado, comece agora mesmo!
 

Contrate um contador

 
Se você já formalizou a empresa, provavelmente passou por todo aquele processo burocrático relacionado à obtenção de registros e licenças junto à prefeitura de sua cidade e aos órgãos responsáveis, certo?

No entanto, as obrigações como empresário só estão começando. É preciso entender, por exemplo, sobre as legislações fiscal, contábil e trabalhista — e acredite, é muita informação.

Se você não tem os conhecimentos necessários na área e mal sabe qual é o melhor regime tributário para a sua empresa, é muito importante contratar um contador.
 

Invista em um sistema de gestão empresarial

 
Podemos dizer que a gestão é um dos fatores mais importantes para o sucesso do negócio, mas ao mesmo tempo é um dos mais negligenciados.

Ter o controle dos setores financeiro, de estoque, de compras, de vendas, entre outros, é fundamental para saber quais processos estão resultando em números positivos e quais estão prejudicando a empresa.

Por isso, conte com um sistema ERP para otimizar os processos internos, facilitar a rotina dos colaboradores e garantir outras vantagens para o negócio.
 

Conheça a sua área de atuação

 
Como já visto até aqui, há vários desafios a serem enfrentados após abrir o seu negócio próprio, como elaborar um bom planejamento estratégico, lidar com diferentes legislações e garantir a excelência na gestão da equipe e dos processos.

Entretanto, os desafios não param por aí.

Também é essencial conhecer a sua área de atuação, especialmente no que diz respeito aos termos técnicos e conceitos. Veja se está familiarizado com os termos e siglas abaixo:

- capital de giro;
- benchmarking;
- escalabilidade;
- fluxo de caixa;
- métricas;
- ROI;
- captação de recursos;
- B2B;
- B2C;
- ticket médio;
- CAC.


O aprendizado deve fazer parte de sua rotina, pois é fundamental conhecer a sua área de atuação e os termos relacionados a ela.
 

Separe a pessoa física da pessoa jurídica

 
Afinal, se você tem o seu negócio próprio, por que separar a pessoa física da pessoa jurídica? Assim como a gestão, este é um dos pontos mais negligenciados por empresários.

Se o gestor não tem controle sobre seus gastos e acaba utilizando o cartão da empresa para pagar contas pessoais ou o seu cartão pessoal para pagar contas da empresa, pode desestabilizar a gestão e bagunçar as movimentações financeiras, complicando até mesmo as métricas do negócio.

É importante definir um valor a ser retirado mensalmente para sanar suas necessidades pessoais e investir o restante dos lucros na própria empresa, sem misturar gastos.
 

Aprenda sobre Marketing Digital

 
Fortalecer a sua presença online a fim de ser encontrado com facilidade deve ser uma de suas prioridades!

O meio empresarial está passando por uma transformação digital, então esqueça o marketing tradicional e aprenda a divulgar o seu negócio e a gerar autoridade em seu meio de atuação por meio do Marketing Digital.

E então, entendeu o que fazer agora que abriu a sua empresa? Ótimo! Saiba que a resiliência é uma aliada do sucesso e que há muitos materiais na internet que o ajudarão a superar adversidades. Conte, especialmente, com o material disponibilizado no portal do Sebrae!

Enfim, sabemos que abrir um negócio próprio dá trabalho e, muitas vezes, pode frustrar o empresário, não é?

Por isso, é importante se lembrar dos motivos que o levaram a empreender e dos benefícios de ser seu próprio chefe: veja 6 deles!
 


COMENTE

Deixe o seu comentário nos campos abaixo: