Materiais gratuitos
Início » Blog » Tecnologia » Criptomoedas: tudo o que você precisa saber

Criptomoedas: tudo o que você precisa saber

Desde a ascensão do pioneiro Bitcoin até o surgimento de uma infinidade de outras moedas digitais, o mundo das criptomoedas tem se tornado fascinante e, ao mesmo tempo, assustador e complexo para muitos.  Nesse sentido, as criptomoedas revolucionaram a maneira como entendemos e realizamos transações financeiras. Afinal, elas oferecem uma alternativa digital às moedas tradicionais, […]

Por Carolina Durval
Atualizado em
Criptomoedas: tudo o que você precisa saber

Desde a ascensão do pioneiro Bitcoin até o surgimento de uma infinidade de outras moedas digitais, o mundo das criptomoedas tem se tornado fascinante e, ao mesmo tempo, assustador e complexo para muitos. 

Nesse sentido, as criptomoedas revolucionaram a maneira como entendemos e realizamos transações financeiras. Afinal, elas oferecem uma alternativa digital às moedas tradicionais, permitindo transferências de valor rápidas, seguras e globais, sem depender de intermediários como bancos. 

Neste guia abrangente, exploraremos o universo das criptomoedas de ponta a ponta, desde os conceitos básicos até os detalhes mais avançados. 

Seja você um iniciante curioso ou um entusiasta experiente, este guia é um recurso definitivo para tudo o que você precisa saber sobre criptomoedas.

Boa leitura!

Introdução às criptomoedas: o que são e como funcionam?

As criptomoedas têm sido um dos temas mais comentados no mundo financeiro nos últimos anos. Mas, você deve estar se perguntando, o que elas são de fato e como funcionam? 

Primeiramente, imagine um tipo de dinheiro que existe apenas digitalmente, sem notas ou moedas físicas. Esse é o conceito básico por trás das criptomoedas. Em outras palavras, elas são moedas virtuais que utilizam a criptografia para garantir transações seguras e a criação de novas unidades.

Aqui estão os principais pontos sobre como as criptomoedas funcionam:

Produção

  • Diferentemente das moedas tradicionais, não é um banco central de um governo que produz e/ou regula as criptomoedas;
  • Quem as produz são os próprios usuários, por meio de um processo chamado mineração.

Comercialização

  • As transações com criptomoedas não requerem intermediários, como bancos. Em outras palavras, as pessoas podem transferir dinheiro ou fazer pagamentos diretamente pela internet, sem a necessidade de terceiros.
  • Além da agilidade, essa lógica reduz os custos das operações.

Moeda virtual e carteira virtual

  • As criptomoedas adquiridas são armazenadas em uma carteira virtual, protegida por criptografia.
  • Os usuários utilizam códigos com letras e números para realizar transações;
  • Após a transferência, assim como em transações bancárias, não é possível desfazer negócio.

Comprovantes de transações

  • Em vez de bancos, as transações são registradas publicamente em um sistema chamado blockchain;
  • O blockchain é uma cadeia de blocos que contém informações sobre todas as transações realizadas com criptomoedas;
  • Embora as informações sejam públicas, os detalhes das contas dos usuários são sigilosos e protegidos.

Em síntese, o verdadeiro diferencial das criptomoedas está em sua tecnologia subjacente: a blockchain. A blockchain é um tipo de livro-razão digital distribuído, que registra todas as transações de forma transparente e imutável. 

Ou seja, isso significa que cada transação é verificada e registrada por uma rede descentralizada de computadores, sem a necessidade de uma autoridade central, como um banco.

Ao entender o funcionamento das criptomoedas e da blockchain, torna-se possível compreender como elas estão transformando a maneira como lidamos com o dinheiro e as transações financeiras. 

A seguir, você entenderá um pouco mais a fundo sobre essa grande tecnologia por trás das criptomoedas.

Blockchain: a tecnologia por trás da criptomoeda

O que torna a tecnologia blockchain tão poderosa é sua natureza descentralizada e transparente. Afinal, em vez de confiar em uma única entidade central para validar transações, como um banco, a blockchain permite que todas as transações sejam verificadas e registradas pela rede, de forma distribuída e consensual. 

Em outras palavras, isso quer dizer que a blockchain é resistente à censura e à manipulação, pois qualquer tentativa de adulteração exigiria o consenso da maioria dos participantes da rede.

Além disso, a blockchain é imutável, o que significa que uma vez que uma transação é registrada, ela não pode ser alterada ou removida. Isso garante um histórico confiável e auditável de todas as transações, o que é fundamental para a segurança e integridade das criptomoedas.

Contudo, a blockchain não se limita apenas a transações financeiras. Sua aplicação vai muito além, abrangendo uma ampla gama de setores, como votação eletrônica, gerenciamento de identidade e muito mais. 

Leia também: O que é a tecnologia blockchain e para que serve?

Linha do tempo das criptomoedas

Com o avanço da tecnologia, as criptomoedas construíram uma história fascinante, repleta de marcos importantes que moldaram o cenário financeiro global. 

Vamos explorar uma linha do tempo das criptomoedas, desde o surgimento do pioneiro bitcoin até os desenvolvimentos mais recentes:

criptomoedas

Dessa maneira, à medida que a tecnologia continua a evoluir e a adoção das criptomoedas aumenta, é impactante imaginar o que o futuro reserva para esse ecossistema em constante mudança.

Principais criptomoedas

Primeiramente, antes de investir ou se envolver com uma criptomoeda, é importante realizar uma pesquisa cuidadosa e entender os fundamentos de cada uma.

Por esse motivo, a seguir, reunimos as principais criptomoedas disponíveis atualmente e algumas das características mais relevantes. 

*As informações de valores descritas abaixo são do site CoinMarketCap.

Bitcoin (BTC)

  • O Bitcoin é a primeira e mais conhecida criptomoeda. Foi criado em 2009 por Satoshi Nakamoto como uma resposta à crise financeira da época;
  • É amplamente usado como reserva de valor e meio de troca;
  • Capitalização de mercado: cerca de R$ 6,88 trilhões.

Ethereum (ETH)

  • O Ethereum é uma plataforma descentralizada que permite a criação de contratos inteligentes e aplicativos descentralizados (DApps);
  • Sua criptomoeda é o Ether (ETH);
  • Capitalização de mercado: cerca de R$ 2,04 trilhões.

Tether (USDT)

  • O Tether é uma criptomoeda estável (stablecoin) atrelada ao valor do dólar americano;
  • É frequentemente usado como uma alternativa mais segura para evitar a volatilidade;
  • Capitalização de mercado: cerca de R$ 541,25 bilhões.

Binance Coin (BNB)

  • A Binance Coin é a criptomoeda nativa da plataforma de negociação Binance;
  • É usada para pagar taxas de transação na Binance e também tem outros casos de uso;
  • Capitalização de mercado: cerca de R$ 445,34 bilhões.

Solana (SOL)

  • A Solana é uma blockchain de alto desempenho que visa escalabilidade e baixas taxas de transação;
  • SOL é o nome dessa criptomoeda;
  • Capitalização de mercado: cerca de R$ 401,57 bilhões.

XRP (Ripple)

  • O XRP, também conhecido como Ripple, é usado para facilitar transferências internacionais de dinheiro;
  • É uma alternativa mais rápida e barata aos sistemas tradicionais;
  • Capitalização de mercado: cerca de R$ 165,86 bilhões.

Cardano (ADA)

  • O Cardano é uma plataforma blockchain que visa melhorar a escalabilidade e segurança;
  • Aqui, a criptomoeda é o ADA;
  • Capitalização de mercado: cerca de R$ 105,51 bilhões.

Dogecoin (DOGE)

  • O Dogecoin começou como uma brincadeira, mas ganhou popularidade;
  • É usado principalmente para gorjetas online e pequenas transações;
  • Capitalização de mercado: cerca de R$ 139,96 bilhões.

Vantagens e desafios no mundo das criptomoedas

As criptomoedas têm sido objeto de intenso debate e interesse nos últimos anos, pois apresentam uma série de vantagens e desafios que moldam o seu papel no mundo financeiro moderno. 

Dessa forma, essa dicotomia entre vantagens e desafios define o cenário dinâmico e complexo no mundo das criptomoedas, influenciando seu impacto e evolução futura. 

Vantagens

  • Descentralização

Diferentemente das moedas tradicionais, controladas por governos e bancos centrais, as criptomoedas são criadas e gerenciadas de forma descentralizada por uma rede de computadores em todo o mundo. Dessa forma, ela garante mais segurança e autonomia para os usuários.

  • Segurança

É difícil roubar ou hackear as criptomoedas, pois além de utilizarem a tecnologia blockchain para garantir a segurança e privacidade das transações, elas também são protegidas por criptografia.

  • Privacidade

Dessa forma, como as transações são registradas de forma descentralizada e criptografada, é difícil rastrear as transações e identificar os usuários envolvidos. 

  • Transações rápidas

Além disso, as transações de criptomoedas podem ser realizadas instantaneamente e em qualquer lugar do mundo, sem a necessidade de intermediários como bancos. O que é uma vantagem considerável principalmente no que diz respeito a transações internacionais.

  • Baixas taxas

Em comparação com os métodos tradicionais de pagamento, as taxas associadas às transações de criptomoedas tendem a ser muito menores. Assim, essas operações podem ser vantajosas para transações de grande volume.

Principais desafios

  • Volatilidade

Ao contrário das moedas tradicionais, as criptomoedas não são reguladas por governos ou bancos centrais e estão sujeitas a flutuações de mercado extremas. 

Embora essa alta volatilidade de preços possa resultar em ganhos significativos, ela também pode desencadear perdas substanciais para os investidores. Esse é um ponto que torna o mercado de criptomoedas mais arriscado e imprevisível.

  • Falta de regulamentação

A falta de regulamentação clara em muitas jurisdições levanta preocupações sobre lavagem de dinheiro, evasão fiscal e outros crimes financeiros associados às criptomoedas. 

Por essa razão, a ausência de definições claras de regulamentação pode ser um desafio para empresas e investidores que operam nesse espaço.

  • Adoção limitada

Apesar do crescente interesse e adoção das criptomoedas, a aceitação generalizada ainda não foi alcançada. 

Isso porque a falta de infraestrutura e educação financeira adequada pode limitar sua adoção em massa.

Como investir em criptomoedas com segurança?

Você já deu o primeiro passo para investir em criptomoedas com segurança: entender do que se trata e como funciona. Agora, para continuar nesse caminho, é necessário que você siga os passos a seguir:

  • Estude o mercado;
  • Utilize carteiras seguras;
  • Proteja suas chaves privadas;
  • Diversifique seus investimentos em diferentes criptomoedas;
  • Pesquise exchanges confiáveis.

Lembre-se de que o mercado de criptomoedas é volátil, então invista apenas uma quantia que você considere segura. Consulte fontes confiáveis e tome decisões informadas.

E se você gostou deste conteúdo, fique de olho no Blog da GestãoClick!

Carolina Durval

Carol da GestãoClick

Graduada em Jornalismo pela UFOP e pós-graduada em Revisão e Preparação de Textos pela PUC Minas, a Carol é Analista de Conteúdo da GestãoClick e apaixonada por comunicação, tecnologia e pela arte de transmitir conhecimento por meio da escrita.
Deixe seu comentário
Deixe uma Comentário

Fique por dentro também

Confira outros conteúdos que podem te ajudar a alcançar uma gestão eficiente, otimizar o seu tempo.

cupom gestaoclick - 9 anos
50% de desconto no plano anual,
+ adesão gratuita de várias integrações!
Garanta aqui

Venda mais com o GestãoClick

Explore todas as vantagens por 10 dias sem compromisso – Experimente agora!

GestãoClick
Logo