Como lidar com o endividamento empresarial?


 endividamento empresarial

O endividamento empresarial acomete empresas de todos os portes, seja em razão da falta de planejamento, empréstimos bancários, más decisões na hora de especificar a quantidade de produtos a serem adquiridos, valor alto de tributos, enfim.

Se você é gestor ou dono do negócio e se encontra em meio a uma crise financeira, o primeiro passo é enfrentar a situação de maneira objetiva, com um planejamento para sair do vermelho.

Neste artigo, sugerimos alguns passos para lidar com o endividamento empresarial.
Boa leitura!

 

Entenda a causa do endividamento

 Você já está com pagamentos em atraso, precisa repor o estoque, o dinheiro não vai sobrar no final do mês de novo e mais contas estão chegando?

Preste muita atenção neste ponto: você precisa dedicar parte do seu tempo para analisar o seu negócio de maneira metódica e então entender o que está causando esse ciclo de endividamento.

Está familiarizado com fluxo de caixa? Sabe analisar o DRE da empresa? Entende o valor do custo de produção? Em outras palavras, você realmente conhece os números do seu negócio?

Há muitas razões para o endividamento empresarial:
 
  • → não há separação entre pessoa física e pessoa jurídica e nem definição do pró-labore dos sócios;
  • → cálculo incorreto da margem de lucro;
  • → falta de conhecimento sobre o custo de produção de determinado produto;
  • → uso indevido de insumos e má gestão do estoque;
  • → falta de análises periódicas;
  • → custos demasiados com horas extras;
  • → inadimplência decorrente de cheques e fiados.

Por isso, para identificar os motivos pelos quais o dinheiro parece não sobrar no final do mês é preciso entender sobre todas as questões mencionadas acima. Afinal, mesmo que o volume de vendas seja muito alto, você pode não estar lucrando.

 

Renegocie dívidas

 Acredite, seus credores também desejar solucionar a questão e receber a quantia que lhes é devida. Portanto, renegociar a dívida, estipular novos prazos e acordar novos juros pode ser a melhor saída para sair do endividamento.

Veja algumas dicas para não se precipitar e acabar aumentando a dívida:
 
  • → prefira quitar primeiramente as contas com os juros mais altos;
  • → analise o faturamento/fluxo de caixa da empresa antes de se comprometer com qualquer tipo de pagamento
  • → você precisa saber exatamente quanto poderá pagar por mês;
  • → calcule o prazo necessário para pagar determinada dívida e tente negociá-lo com seu credor;
  • → antes de recorrer aos empréstimos bancários ou parcelamentos no cartão de crédito, coloque no papel o valor dos juros a serem pagos e calcule se vale a pena.
 

Reduza custos e despesas e adote estratégias

 Lembra do que comentamos no primeiro tópico? Conhecer os números do negócio auxilia no entendimento da causa do endividamento empresarial. A partir daí, uma análise mais ampla e cuidadosa permite saber quais gastos podem ser reduzidos ou até mesmo eliminados.

Vale ressaltar que a diminuição de custos ou despesas não deve modificar a qualidade do produto ou serviço ofertado!

Então, veja possíveis soluções de estratégias a curto, médio ou longo prazo:
 
  • → na medida do possível, faça pagamentos à vista visando os descontos dados pelos fornecedores — se tiver que comprar menos produtos para isso,     ao menos defina o estoque mínimo com antecedência;
  • → caso a solução acima seja inviável no momento,  compre quantidades menores e peça aumento no prazo de pagamento;
  • → acompanhe o fluxo de caixa com frequência e calcule o capital de giro;
  • → caso perceba que os juros do cartão de crédito são abusivos, limite o uso;
  • → diminua a inadimplência evitando vendas fiado ou recebimento de cheques;
  • → exija sempre o pagamento adiantado, especialmente se a sua empresa é especializada na prestação de serviços;
  • → diminua os prazos de recebimento/quantidade de parcelas;
  • → sempre renegocie dívidas de acordo com a projeção do fluxo de caixa.

Enfim, o endividamento empresarial não significa o fim do seu negócio, mas é preciso se planejar adequadamente para sair da crise, conforme abordado neste artigo.

Então procure as causas do acúmulo de dívidas, renegocie, trabalhe com a redução de custos e despesas e adote estratégias a longo prazo.

E se você quer melhorar a gestão do negócio e se ver livre das dívidas, cuide da saúde financeira da sua empresa com um sistema desenvolvido para acompanhá-la!


 


COMENTE

Deixe o seu comentário nos campos abaixo: